Quanto tempo de Air B&B é suficiente para achar um apartamento?

HEAD_DIAADIA

Bem, vamos ao mantra do blog: cada pessoa/casal tem gostos, prioridades e dinâmicas diferentes. O que aconteceu comigo não necessariamente vai acontecer com você. Vou contar aqui um pouco da minha experiência.

img_0286

(Rua próxima da qual moramos – fotinho do setembro molhado)

Chegamos aqui com 9 dias de air bnb. Era final de agosto. A cidade estava um pandemônio! Tava tudo alugado e o que estava disponível tinha preços absurdos. Todo dia nos noticiários os jornalistas faziam matéria sobre a bolha imobiliária de Vancouver e das medidas que eles estavam planejando para ajudar as pessoas a alugarem apartamentos na cidade.

Vancouver é cara. Mas se você fizer uma pesquisa, vai saber os preços médios de cada região. O que a gente encontrava era ap que regularmente sairia por 1000 saindo por 1500 e ap de 1300 por 1900. Fora de cogitação!

O fato de termos pouco tempo foi foda… Chegamos no final do mês, com uma janela pequena para conhecer os bairros e achar um ap vago. Daí você pode me perguntar

  • “Mas pq vcs não vieram antes?”: Por causa de compromissos de trabalho não tinha como a gente sair do Brasil antes.
  • “Mas pq não vieram depois, para alugar em outubro?” : Pq eu tinha que estar aqui no dia 1/9.
  • “Mas pq não contraram empresa para alugar para vcs” : Pq o atendimento foi um LIXO e desistimos de insistir para sermos atendidos.
  • “Mas pq não alugaram mais tempo no Air BnB” : Porque achamos que era uma despesa muito grande e pensamos que fosse mais fácil alugar.

Bem, não foi. A gente acabou dando muita sorte em achar nosso AP. No post sobre o aluguel eu conto melhor a nossa experiência no ato em si. Por aqui eu queria focar na chegada.

A entrada dos locatários nos APs se dá quase sempre no primeiro dia do mês. Se você tiver condições, chegue no começo do mês anterior (até o dia 10) para alugar algo no mês seguinte. Com esse tempo,  acho bem mais garantido. Neste caso (pra mim, o mais recomendado) prepare-se para pagar uns 21 dias de Air B&B no mínimo.

Se você vem entre agosto para alugar em setembro, chegue antes. Eu não fazia ideia da loucura que isso aqui fica. Teve caso visitarmos um apartamento e de ter tantos interessados que a dona resolveu aumentar o preço do ap em 500 dólares depois de 5 horas de visitas. E ela alugou no mesmo dia, por um valor ABSURDO.

#jeitinhobrasileiroforadobrasil (PS: ela não era brasileira, era chinesa)

Quanto menos tempo você tiver, mais você vai pagar e provavelmente a qualidade do ap também não seja igual a dos quais foram alugados já no começo do mês.

Se o  serviço que aluga apartamentos aqui em Vancouver tivesse sido mais solícito, eu teria fechado com eles. A tensão de não saber se você vai conseguir uma casa é muito grande. Ainda mais quando a gente não conhece ninguém no novo país que a gente tá se mudando. Mas dá para ver – e pelo o que conversamos com pessoas por aqui – é que esse serviço é para quem tá desesperado, não tem o inglês bom ou não tem experiência fora do país. Ou para quem é mais desapegado e prefere pagar a comissão deles a pagar Air BnB.

Regularmente, para quem não chega no nosso caso, é bem tranquilo alugar. Se você chegar com calma, vai poder escolher seu ap, o bairro, tudo da forma mais adequada para não se arrepender.

Assim, minha dica é – se você chegar em agosto para setembro, pense em um mês de air B&B. Em outras épocas, três semanas é um tempo super razoável para você encontrar uma casinha.

 

 

 

 

 

 

Advertisements

Primeiros passos no Canadá

HEAD_DICAS (1)

CHEGAMOS!

Bem, a essa altura já estaremos em Vancouver. Estou falando no passado por ter escrito esse post ainda no Brasil. Acredito que não vou ter tempo na chegada para escrever (nem meios, pois ainda estarei sem internet e sem computador).

IMG_9906

*fotinho ilustrativa minha em Las Vegas, não em Vancouver. Em breve fotos canadenses!

Decidi então publicar a minha listinha do que teremos que fazer assim que chegarmos a Vancouver. E olha… nesse primeiro momento, vai ter coisa pra caramba para resolver.

Hoje, quarta, é o primeiro dia que estaremos no Canadá. A chegada do nosso vôo estava prevista para terça-feira às 11 horas da noite (horário de Vancouver). Com todo o processo de imigração + bagagens, creio que chegamos no hotel por volta da uma da manhã. Soma aí que uma da manhã lá é cinco da manhã em Santa Catarina.

Quarta é um dia cheio de atividades, o primeiro capítulo da nossa chegada. Vamos lá para o que está planejado:

  • Air BnB
    • Como chegamos na madrugada, tivemos que ficar em um hotel pertinho do aeroporto. Na quarta cedinho (ou mais cedo que a gente conseguir) vamos para a casa que alugamos no Airbnb. Esse será nosso endereço provisório para conseguirmos resolver as primeiras pendências no país.
  • Fazer o SIN number
    • Esse é o CPF do Canadá. Ele é o primeiro documento canadense que nós teremos. Pelo o que pesquisei, você vai até o local onde fazem ele e na mesma hora sai já com o número. É necessário o visto, a permissão de trabalho/estudo e um endereço. Mais para frente eu farei um post sobre ele.
  • Comprar o Celular
    • Não dá pra fazer quase nada sem ter um telefone. Assim que a gente conseguir o Sin, vamos para bater perna nas lojas buscar uma boa oferta para telefonia. Também explicarei melhor como foi a escolha em breve.
  • Abrir conta no Banco
    • Para abrir a conta no banco, o que precisamos: Visto, endereço, Sin e número de Celular! Ou seja, basicamente existe uma sequência para seguir nesse primeiro momento. Pelo o que pesquisamos, é bem tranquilo o processo, assim que abrir a conta, já recebemos um cartão de débito e podemos fazer transferências do Brasil para o Canadá. Vou explicar como foi e como escolhemos o banco mais para frente.
  • Pagar seguro saúde da UBC
    • Lembram que eu falei sobre os rolos para pagar o seguro saúde da UBC nesse post e nesse post? Então, precisamos passar no HSBC e pagar o meu seguro saúde. Depois encaminhamos o formulário do pagamento do seguro do meu marido por email (esse pode ser com cartão de crédito).
  • Metropass
    • Comprar o cartaozinho do transporte público em Vancouver. Como chegamos no final do mês, não vale a pena comprar o mês inteiro. Vamos recarregar com uns C$ e depois na virada do mês a gente compra o mensal. Se você está se perguntando: mas pq eles não pagam a viagem em dinheiro? Bem, aqui no Canadá é necessário ter o dinheiro certinho na hora de pagar. Não tem troco. Assim, é bem mais fácil usar o cartão, né. Mais explicações no futuro post tb.

 

Essas são as providências emergenciais! Das que a gente vai chegar e fazer sem nem ter dado um rolê na cidade ainda. Depois que a gente fizer isso tudo, vamos começar a fazer o resto com um pouco mais de tranquilidade. Mas, honestamente, me conhecendo, até conseguir o nosso AP, nada vai ser muito tranquilo!

Se der tempo ainda na quarta começaremos o capítulo dois da chegada:
apagar

  • Procura por um AP
    • Saímos do Brasil com um bairro queridinho: Kitslano. Ele fica bem localizado entre o centro e a UBC. Em uns 20 a 30 minutinhos eu chego na universidade de bus. Conseguimos ir praticamente a pé até o centro da cidade. Seria ótimo morar por lá. Porém, vamos procurar também em outros lugares, como Fairview, Cambie, Shaughnessy, Marpole, Mount Pleasant (que até onde vimos possuem mais prédios e ficam no máximo a 45 minutos de busão da UBC). Downtown e Westend seriam legais, mas são as partes mais caras da cidade, então descartamos. North Vancouver, East Vancouver e Burnaby seriam opções, mas como ficam mais de uma hora de distância da universidade, só em último caso mesmo. Vai rolar bastante posts sobre como foi o aluguel e sobre os bairros da cidade. Inclusive, tô pensando em fazer uma série sobre cada bairro de Vancouver. Senti muita falta disso quando pesquisei, acredito que eu possa contribuir com isso.
  • BC ID
    • Para não ficar andando com o passaporte para cima e para baixo, fazer o RG canadense é bem importante. Assim que der um tempinho, o faremos.
  • Conhecer a cidade!
    • Tá aí uma coisa que vamos estar loucos para fazer, mas provavelmente só vai rolar depois que a gente pegar o ap. Mas, é claro, enquanto a gente procura AP, faz os passos burocráticos da mudança, estaremos sempre de olho ao nosso redor =).

Bem, esse segundo capítulo tem bastante coisa para ser resolvida. Mais explicações (e o terceiro capítulo) ficam para um próximo post!

 

Moradia dentro da Universidade no Canadá – como aplicar?

HEAD_BURO

apagar.jpg

A possibilidade de morar dentro do campus existe para os doutorandos que estão fazendo doutorado sanduíche. O primeiro passo é entrar em contato com o departamento de moradia da universidade que você vai. Eles já te falam de cara como funciona a seleção da sua instituição.

Eu fiz isso. Eles me explicaram que eu poderia morar no campus e me indicaram o site da UBC de housing, no qual fiz meu cadastro a partir do número de matrícula que eu já possuo. Paguei uma taxa de $50 e pude acessar o sistema. Lá aparecem as opções de housing (casa/ap para família, quarto dividido, individual, casa dividida).

No meu caso, como vou com meu esposo, escolhi o housing para família. Como não temos filhos, poderíamos escolher unidades de até um quarto. Dependendo de quantos filhos você tem, é possível alugar uma casa/ap de até 4 quartos.

O housing não é gratuito, mas os preços são bem mais justos que fora da universidade. Como em Vancouver alugar um apartamento em uma localidade central é muito caro, vale muito a pena tentar a hospedagem na Universidade.

Até aí, ok. O problema veio depois. Estamos na fila para dois tipos de unidades há cerca de um mês. Quer saber nossa posição na fila? Em uma estamos em #131 e na outra em #121.

Assim, infelizmente eu acredito que seja quase impossível a gente conseguir uma casinha no campus…

Minha dica é: assim que forem aprovados pela Universidade, já vejam se dá para se cadastrar. Se eu tivesse feito isso, talvez a gente conseguisse um lugarzinho na UBC 😦

Até a próxima e dedos cruzados por aqui – vai que a fila começa a andar?