Chegada no Canadá – como foi?

HEAD_BURO

Foram muitas horas e horas de vôo.

Embarcamos no aeroporto na segunda-feira, perto da uma da tarde. Nosso vôo saiu perto das três.

Chegamos em São Paulo. Esperamos até perto da meia noite.

Chegamos pela manhã em NY. Desembarcamos, recolhemos as nossas malas, passamos pela imigração. Fizemos o check-in para o próximo voo, colocamos as malas na esteira e partimos para LAX. (Vale a pena dizer que era um Voo da Delta que compramos pq dizia ser direto SP-LAX. Como vcs podem ver, não foi direto.)

Esperamos quase 10 horas em LA até pegármos o voo para Vancouver.

Chegamos em Vancouver 00:01 de quarta-feira (quatro horas da manhã, no Brasil).

Pegamos as nossas malas, passamos pelo guardinha. Ele perguntou o que a gente tava fazendo no Canadá, falei que era a estudo (eu) e trabalho (marido). Ele nos deu boas vindas e pediu para a gente ir até uma outra sala da imigração.

Fomos lá, entramos em uma pequena fila (tinha outros dois casais esperando). O outro oficial nos atendeu, pegou nossos documentos (passaporte e carta de aceite) e pediu para a gente esperar. Uns 15, 20 minutos depois ele voltou com nossos passaportes e com a Poe Letter (uma carta que especifica mais detalhadamente o que a gente pode fazer no país e sempre que saírmos do Canadá precisamos levá-la junto conosco. Ela tb é necessária para tirar o sin e para tirar o bcid).

Assim, com todo o processo, levamos cerca de uma hora.

Eu tava tensíssima pensando se encontraria um taxi naquele horário que levasse nossas quatro malas gigantes. No fim, tinham MUITOS taxis disponíveis, foi uma preocupação desnecessária. Pelo o que eu vi, não tem pq  marcar transfers caríssimos… O preço do taxi é tabelado e tem vários a disposição (mesmo em horários ruins, como no nosso caso).

Em resumo, a imigração foi bem simples. Ainda bem, pq a gente estava literalmente dormindo em pé. O cansaço é uma coisa absurda. Acho que a ansiedade, a tensão, colaboram demais para tudo ser mais cansativo. Então tentem relaxar e se preparem físicamente para aguetar o tranco!

Nos próximos posts eu começo a falar sobre os processos de chegada, listados aqui.

Screen Shot 2016-12-09 at 4.32.39 PM.png

(muito café – ou no meu caso chá – para ficar acordada na maratona da viagem)

Advertisements

Faltam… 10 dias para a viagem!

HEAD_DIAADIA

DEEEEEZ DIASSS!

Imagina a tensão da pessoa?

Captura de tela 2016-07-04 às 18.23.36.png
Fotinho da Taylos Swift no countdown para um álbum dela

Antes de começar, aquela lembrança básica: fiz alguns posts sobre planejamento, com a minha organização desde 2014 e até com uma tabela que traz o que fazer até o dia da  viagem.

E tem a preparação 70 dias, 60 dias, 50 dias, 40 dias30 dias e 20 dias. SIM, você pode acompanhar passo a passo da nossa programação.

E a fila andou muito! Só faltam duas grandes tarefas!

  • Malas
    • Falta arrumar e separar algumas coisas que ficarão e outras que vão. Duas malas prontas, uma 20% arrumada e a outra toda para arrumar!
    • Preparar a mala de mão (farei um post sobre ela, mas provavelmente só depois da viagem!).
  • Providências de Chegada: Escolher banco, serviço de telefonia
    • Tenho uma boa noção do banco que vou escolher. Pesquisei e pesquisei e defini o que eu acho mais importante. Mais para frente eu farei um post sobre isso, já que é bem difícil encontrar informações. Daí já faço o trabalho completo, inclusive com o passo a passo de abrir a conta. A telefonia ainda tá um pouco ampla, pretendo fechar o foco nesses últimos dias.

Já está ok:

NOVIDADES:

  • Providências de Chegada: Moradia 
    • O laranja é por não ter sido 100% resolvido, mas não há mais o que fazer nesse momento. Infelizmente não rolou a moradia dentro da UBC… Fiz um post sobre como aplicar para moradia dentro da Universidade canadense.  dentro da UBC. Eu deveria ter entrado na lista assim que recebi a carta de aceite, foi burrice minha. Agora eu vou pagar (literalmente) por isso. Os primeiros dias por lá serão uma loucura atrás da nossa casa. Mais para frente também farei um post explicando como funciona essa busca pelo apartamento perfeito melhor possível. Adianto que sair com algo pronto aqui do Brasil – sem ser a moradia da UBC – seria meio que uma roubada.
  • Cancelar internet
    • Já agendei o cancelamento da internet aqui de casa. Não temos nem telefone nem tv a cabo, só precisamos cancelar ela mesmo.
  • Desbloquear cartão de crédito
    • Na hora de comprar o celular, geralmente eles pedem um cartão de crédito para o security deposit. Sem contar que ele é sempre um grande aliado nas emergências (inclusive médicas se vc tem seguro).
  • Tradução juramentada da Carteira de motorista
    • Levar a carteira de motorista traduzida ajuda bastante na hora de tirar a sua por lá.
  • Reunião com orientadora
    • Agendada para a próxima semana, já fiz todo o meu dever de casa, minhas pesquisas estão em dia, mesu resultados tb. Não consegui escrever muito nos últimos dias, mas nem adianta. É impossível manter o ritmo de produção no meio de uma mudança desse tamanho.
  • Seguro de Saúde
    • O laranja é por não ter sido 100% resolvido tb. O seguro via UBC acabou me dando bastante dor de cabeça. A UBC pede que o seguro seja pago via transferência bancária, ela não permite que eu pague o meu seguro por cartão de crédito. No site da Universidade, eu consigo emitir um boleto, que tem um prazo de 24h após ser emitido para ser pago. Fui em duas agências do Banco do Brasil e eles demoram mais do que o prazo dado para fazer a transferência. Fora que a taxa que o Banco do Brasil cobra para fazer o depósito em conta corrente de uma empresa é quase o mesmo valor que o seguro! Um absurdo! Burocracia no Brasil funciona muito bem para quem precisa pagar um seguro, mas na hora do Eduardo Cunha mandar dinheiro roubado dos cofres públicos pra pqp tá ok, né? Enfim, a UBC permite que eu pague quando eu chegue por lá. Sö vou conseguir resolver isso  100% depois de estar em solo canadense.
  • Acertos com a Universidade brasileira
    • Todos devidamente comunicados da minha ida.
  • Pastinha da viagem
    • Como na imigração vários documentos são pedidos, vou separar tudo certinho em uma pasta para ter ali tudo que eles possam pedir. Devo fazer um post mais para frente falando sobre os documentos interessantes de deixar na bagagem de mão.
  • Procurações e outros documentos 
    • Fui a um cartório próximo a UFSC e eles já tinham um modelo prontinho de produração para pessoas que cursam doutorado sanduíche. Lá tinha todas as funções necessárias para passar para um terceiro – inclusive para mexer na conta do banco e transferir dinheiro para o exterior.
  • Acertos bancários 
    • Precisava dar uma passadinha no banco para acertar o representante legal. Tudo resolvido =)

Já estavam ok há mais de duas semanas:

  • Visto 
    • Foi aprovado no dia 30 de maio. Fiz um post com a timeline do processo.
  • Sair do Ap Alugado 
    • Nós morávamos de aluguel e sempre é bem complicado entregar o Ap (ainda mais depois de quatro anos de uso). Resolvemos sair antes de lá e ficar nessas últimas semana em um Ap da nossa família. Assim vamos economizar mais um pouco para a nossa viagem.
  • Venda de móveis 
    • Como saímos do AP que a gente morava, vários móveis a gente já vendeu. Viemos para um apartamento mobiliado, então só trouxemos os nossos pertences pessoais, nada de móveis e eletrodomésticos. Como AP alugado já era praticamente mobiliado, não tínhamos tanta coisa assim, mas o que deu para vendemos, nós vendemos. A graninha que rendeu está guardada para nos ajudar nas despesas iniciais de montar o ap no Canadá.
  • RG
    • Fiz! Já está em mãos!
  • Providências de Chegada: AirB&B, Hotel ou outra
    • Fechamos onde vamos ficar até dia 1ro de setembro. Mais detalhes no próximo post sobre: Hotel, AirB&B, Apartamento: onde ficar quando você acabou de chegar.
  • Traduções juramentadas
    • Por segurança, vou levar alguns documentos com tradução juramentada, caso seja necessário por lá.
  • Marcar Despedidas
    • Combinamos já com a família e já programamos com os amigos. Essa semana tem a primeira!
  •  Reuniões na pós do Brasil 
    • Tudo OK!
  • Consultas Médicas
    • Check up completo =D
  • Vendas de roupas, livros e objetos 
    • Processo finalizado! Fiz um post sobre o que levar e o que deixar e um sobre vender roupas, outro sobre móveis e outro sobre livros.

 

Planejamento inicial de Viagem para o Canadá (parte 2)

 Captura de tela 2016-04-18 às 21.29.09

Continuando o último post.

Setembro de 2015

(11 meses antes da viagem)

Na minha Universidade as coisas geralmente demoram um pouco, e eu já tinha meCaptura de tela 2016-04-19 às 20.20.02planejado com isso. Para eu conseguir as assinaturas que a University of British Columbia me pediu, esperei 22 dias. No final de setembro enviei para UBC toda a papelada que eles precisavam e tudo foi aprovado em mais ou menos cinco dias úteis. Assim que aprovado, eu recebi um login para acessar o sistema da Universidade e emitir um boleto para pagamento da taxa de aceite.

 

 

Outubro de 2015

(10 meses antes da viagem)

A UBC possui um sistema diferente de muitas outras universidades. Após a minha papelada ser aprovada, para eu receber uma carta de aceite eu precisava pagar uma taxa de cerca de $300 dólares canadenses. Pode ser paga por cartão de crédito e só com o Captura de tela 2016-04-19 às 20.20.48pagamento da mesma a carta oficial de aceite da Universidade é emitida. O meu boleto foi criado di primeiro de outubro, se eu não me engano. Paguei e o sistema acusou recebimento em menos de 48h. Falo um pouco mais sobre isso nesse post. Cerca de 10 dias depois recebi a carta oficial da UBC, meu principal documento para o visto.

Há universidades que pedem o pagamento desta caixa apenas quando o processo de visto é iniciado. Nos EUA o padrão é cobrar pela emissão de um documento específico para retirar o visto. Cada instituição tem a sua dinâmica, então é bom consultar. Pretendo fazer um post sobre como na UBC, quem faz doutorado recebe visto de estudante enquanto em outras instituições canadenses o visto é de trabalho. É importante sempre se comunicar com a sua instituição e entender que cada caso é um caso.

 

 

Novembro de 2015

(9 meses antes da viagem)

Nesta época a Capes não estava mais funcionando, mas meu prazo para participar do Edital do CNPQ (que foi aberto, todo mundo se inscreveu mas não classificaram ninguém) era deCaptura de tela 2016-04-19 às 20.20.58dezembro de 2015. Desde o começo de 2015 eu tinha como deadline novembro para estar com todas as cartas de aceite na mão para fazer esse procedimento. Como eu qualifiquei no começo de dezembro, queria qualificar em paz sem ter que me estressar por causa de documentos. E assim o fiz =)

 

 


Dezembro de 2015

(8 meses antes da viagem)

Qualifiquei e me inscrevi no edital do CNPQ. Supostamente o resultado sairia em março,Captura de tela 2016-04-19 às 20.21.08depois adiaram para abril e por último eles admitiram em abril de 2016 – para alguns participantes, por email – que não teria classificados.

Em Dezembro era hora de ser paciente e aguardar  resultado do edital até (inicialmente) Março.

Captura de tela 2016-04-19 às 20.49.13.png

 

Março de 2016

(Cinco meses antes da viagem)

Já falei algumas vezes que sou bem ansiosa. Passei janeiro, fevereiro e março na apreensão de não ter bolsa. No fim, infelizmente meu palpite estava certo. Mesmo sem nenhuma resposta oficial, em março eu achava que já estava bem claro que o CNPQ não contemplaria ninguém e se eu quisesse ir eu iria sem bolsa.Fiz as contas, fiz alguns contatos de freela, conversei com o meu companheiro, com as minhas orientadoras e faremos a matemática funcionar.

Nesse mês também começamos a nos programar,a pensar no que vamos vender, o que vamos deixar por aqui. Meu marido planejou e comunicou ao seu sócio sobre a nossa viagem há mais de dois anos, então na sua empresa está tudo programado para ele trabalhar de longe por um ano a partir de agosto. Toda essa experiência de viajar acompanhada do downloadcompanheiro é algo bem legal para compartilhar por aqui em um próximo post. Por enquanto, resumo em dizer que o plano era meu e virou nosso assim que eu expliquei para ele como era importante pra mim. Acredito sempre que casais precisam embarcar juntos no sonho um do outro e foi exatamente o que aconteceu no nosso caso. Coração canadense para o amor.

 

Dei uma pulada nisso, mas durante os meses de janeiro e fevereiro eu comecei a pesquisar muito sobre custo de vida para fazer um planejamento mais detalhado de quanto a gente precisaria por mês para nos mantermos. Falarei disso mais para frente, sobre os gastos planejados para um casal, para uma pessoa sozinha e para alguém(s) com filhos. É claro que também pesquisei sobre o processo do visto. Tenho um post sobre se vale contratar ou não um serviço de auxílio e dois posts (esse 1 e esse 2) sobre o visto em si.

 

Abril de 2016 A.K.A (esse mês!)

Captura de tela 2016-04-19 às 21.04.29(Quatro meses antes da viagem)

Entramos com o pedido de visto neste mês. Pra ser sincera, se eu fosse aconselhar alguém eu diria para entrar com o pedido em março para viajar em agosto. Cinco meses antes me parece ser mais tranquilo que quatro. Ainda assim, tem gente que recebe o visto em menos de um mês, enquanto outros demoram 60 dias úteis. Loteria ou Lotação, não sei dizer.

Por enquanto esse foi meu planejamento no plano do passado, mostrando o que fiz até agora.

Para o próximo post, mostrarei meu planejamento do futuro, para os próximos 100 dias.

Visto para o Canadá – Documentos (parte 2)

HEAD_BURO

Continuamos com a saga do visto! No último post eu falei das comprovações financeiras. Agora falo de comprovantes de vínculo com o Brasil, o item que vai mostrar para quem avalia o seu processo que você voltará a sua terra natal.

De tudo que eu pesquisei, listo os que são mais necessários:

  • Carta de vínculo com emprego no Brasil

No caso de você sair do Brasil e ainda assim manter o emprego, é aceitável apresentar uma carta do seu chefe falando sobre o que você vai fazer fora, o que eles vão ganhar com isso, se você ainda receberá salário.

Se você foi contemplado por uma bolsa da Capes/CNPQ/Outra agência os comprovantes de contemplação valem também como vínculo e prova de renda no Brasil. Não esqueça que para um ano no Canadá é preciso comprovar cerca de $11 mil doláres canadenses para uma pessoa e $14 mil dólares canadenses para um casal (quem vai com filho adiciona cerca de $2 mil por dependente). Coloquei os valores que eu lembro de cabeça, mas para ter certeza acesse o site do CIC.

  • Carta de vínculo estudantil com Brasil

No caso de você ser aluno de alguma Universidade você pode anexar uma carta da sua coordenação sobre a sua saída condicional com a sua volta. É interessante incluir o tempo que você vai passar no Canadá, há quantos meses/anos você tá matriculada no Brasil, quanto tempo você tem para concluir o curso.
No meu caso, como sou aluna de Doutorado e vou para fora a convite de uma professora do Canadá, eu anexei quatro cartas: Uma da minha coordenação Brasileira, uma da minha orientadora Brasileira, uma da Universidade que eu vou no Canadá e uma da minha orientadora no Canadá.

  • Carta de vínculo familiar

Você tem uma filha que você precisará voltar ao Brasil para cuidar? Ou uma mãe? Ou uma avó? Anexar uma carta dessa pode ser interessante para provar que você não pretende ficar no Canadá para o resto da vida e que tem vínculos familiares com o Brasil.

Se você é casada e seu marido/esposa é importante apresentar a certidão de casamento, assim como se você tiver filhas/os é importante apresentar a certidão de nascimento (independente de te acompanharem ou não).

Last but definitely not least:

  • Carta de intenção

Quando eu contratei o serviço de despachante, perguntei umas três vezes se essa carta era necessária. Vi em diversos blogs e vlogs pessoas que viajaram falando da importância da mesma. Quem me atendeu disse que não precisava todas as vezes que eu perguntei.

No dia que eu fui entregar a documentação pessoalmente (a empresa faz pelo VAC de SP) eu a questionei mais uma vez. Daí, depois de eu insistir muito, ela decidiu confirmar ligando para um outro consultor da empresa matriz em São Paulo. Advinha o que ele disse? Que precisava.

Recomendo que mesmo que você escute a sua consultora dizendo que “não precisa, é besteira” que você faça a carta e a anexe ao processo do mesmo jeito. Se eu tivesse feito a carta de qualquer forma e levado no dia da entrega dos documentos para a empresa despachante, eu teria ganhado um tempo. Sem contar que: e se ela não tivesse ligado para outra pessoa para confirmar? E se eu não tivesse insistido perguntando sobre carta? Vai que faltasse essa informação que a carta esclareceu?

A empresa com certeza não me reembolsaria por uma falha deles. Confie em você e leve a sua documentação extra.

Só mais um desabafo – quem me atendeu também esqueceu de pedir a certidão de casamento minha e de meu marido. Acreditem se quiser… Todo o propósito do visto dele é ser vinculado ao meu e a pessoa não lembrou de pedir a certidão. Quem levou de qualquer jeito foi eu, pq eu já tinha lido bastante e sabia que era imprescindível.

Ainda sobre a carta de intenção, ela pode ser em português e pode ser uma por família/casal. Já vi marido e mulher escrevendo cartas separadas e já vi o aplicante principal escrevendo uma só (meu caso). Daí depende de cada caso. Como eu apresentei bastante documentação extra, julguei que não fosse necessário mais essa.

É fundamental falar porque você está indo para o Canadá, o que irá fazer e porque você vai voltar. Todos dizem que como – inicialmente pelo menos –  não há uma entrevista essa carta deverá ser como se você estivesse explicando para um membro do consulado suas intenções em visitar o país. Explique certinho como vai, porque vai, com quanto vai, com quem vai, e, principalmente quando volta. Não esqueça de falar da importância da viagem para você.

 

 

Visto para o Canadá – Documentos (parte 1)

HEAD_BURO

Bem, independente de fazer com uma empresa ou sozinho, você vai precisar de documentos além dos formulários que você vai preencher.

Vou passar a lista que me passaram para visto de estudante e de trabalho aberto em categorias:

Comprovantes de renda

  • Imposto de renda do ano com recibo
  • Prolabores/vencimentos/ contracheque (últimos 3 meses)
  • Carteira de Trabalho Assinada
  • Contrato social (caso seja sócio de alguma empresa)
  • Extrato conta corrente (assinado pela sua gerente e dos últimos 3 meses)
  • Extrato poupança/aplicação (assinado pela sua gerente e dos últimos 3 meses)
  • Extrato previdência privada(assinado pela sua gerente e dos últimos 3 meses)

Supondo que você é empresário: Você pode apresentar o IR da sua empresa e o contrato social.

Supondo que você é freela/autônomo: Você pode apresentar as notas fiscais dos serviços que você prestou, carta dos clientes falando dos serviços e dos preços.

Supondo que você é empregado: Você pode apresentar uma carta do empregador falando sobre quanto você recebe, quanto tempo você vai ficar fora.

Supondo que você não tem emprego: Você pode apresentar uma carta de custeio de quem vai pagar pelo seu tempo no Canadá. Vale lembrar que você terá que apresentar IR, Contracheque, Extratos, dessa pessoa. Ou seja, você deverá apresentar os seus documentos comprovantes de renda e da pessoa que vai te custear também.

Detalhe: Caso você trabalhe e queria complementar ou que não tenha a renda suficiente e queira apresentar alguém que vai custear o seu tempo no Canadá, também é possível. Paitrocínio e Mãetrocínio tão valendo.

 

Como é a inscrição para bolsas de doutorado sanduíche (via CNPQ)

Captura de tela 2016-04-18 às 21.29.09

Como eu mencionei previamente, o CNPQ não funciona em fluxo contínuo. São três chamadas por ano.

Você pode acompanhar os editais no site do CNPQ.

Esse é o Cronograma atual:

Captura de tela 2016-03-21 às 22.36.12.png

Assim, você junta os documentos necessários e dentro das datas propostas se inscreve. Você precisa de:

  • Carta de anuência da sua Universidade
  • Carta de anuência da sua orientadora
  • Carta de aceite da Universidade de destino
  • Carta de aceite do professor que será seu orientador fora do Brasil
  • Carta do seu orientador fora do Brasil ou da Universidade ou Teste de Proficiência alegando que você tem domínio da Língua de destino (Até o pessoal que vai pra Portugal precisa dessa carta, acreditem se quiser)
  • Currículo do professor fora do Brasil
  • Projeto de pesquisa do doutorado sanduíche
  • Preencher o formulário do Site (com a área do seu trabalho, nome do seu professor, seu lattes, etc.

Daí você anexa tudo por lá e espera o resultado no site.

 

 

Como obter a Carta de Aceite da Universidade Canadense (UBC)

 

Captura de tela 2016-04-18 às 21.29.09

Bom, até agora contei minha saga em busca do doutorado sanduíche. Pois, então, depois do aceite da orientadora, ela faz uma carta comunicando que está de convidando para fazer o sanduíche na universidadechecklist.jpgNesta carta consta a sua data de visita, o propósito da mesma, de onde você vem e onde você vai atuar na universidade de destino. A professora fala sobre você e o trabalho dela e voilá.

No meu caso, a professora encaminhou a carta em um email para a secretaria de estudantes internacionais da UBC.Ela explicou que me receberia e pediu para que eles explicassem o processo para mim.

Na UBC é assim: eles pedem para você preencher um formulário de aceite, que é um documento de “visitor student/scholar”. Tem que preencher tudo e depois conseguir a assinatura de confirmação da sua coordenadora e de sua orientadora no Brasil. Também são necessárias as assinaturas da coordenadora e da orientadora na UBC. No meu caso, o próprio departamento foi kind enough para conseguir as assinaturas por lá, sem eu ter que interferir. Importante: é tudo digital. Nada de documento pelo correio. Foi “só” preencher, pegar as assinaturas, escanear e enviar por email. Lá eles imprimiram, pegaram as assinaturas que faltavam e inseriram meu processo no sistema.

Com isso pronto, tive que preencher mais algumas coisas em um acesso especial no site, liberado após a primeira ficha. Depois, tive que esperar uma guia para o pagamento de um boleto. Esse boleto foi gerado depois que todos os dados do meu processo foram verificados. Demorou dois dias – a partir do preenchimento no site – para o boleto ser gerado no meu caso. Daí eu paguei ele aqui no Brasil (no meu cartão de crédito mesmo). A partir do momento que o pagamento caí, eles avaliam a tua inscrição oficialmente.

10 dias depois (acho que úteis) chegou no meu email a carta oficial de aceite da Universidade. Ao todo o processo demorou cerca de 45 dias (vale observar que só na minha Universidade demorou mais de duas semanas para eu conseguir as assinaturas necessárias).

No caso da UBC, eles só emitem esse documento mediante o pagamento da avaliação do pedido. Essa carta é fundamental para entrar com pedido de bolsa. Todas as agências de fomento pedem uma carta de aceite da Professora e outra da Universidade) A carta também é a prova que eu tenho para o pedido do visto de estudante para o Canadá.

No entanto, na maioria das Universidades, o processo não é assim. Nas americanas, por exemplo, a maioria emite a carta de aceite da instituição logo a seguir que a professora aceita o aluno. Depois, quando o aluno consegue a bolsa, ele entra em contato para conseguir um documento específico que pedem na hora de tirar o visto  – esse sim quase sempre é acompanhado por uma taxa.

A maioria das universidades canadenses também não cobra na taxa na carta de aceite, algumas cobram na hora de emitir uma carta pro visto. Na UBC é só uma carta, paga já no início. Não são documentos diferentes.

Ouvi falar de universidades que pedem prova de proficiência antes de emitir o aceite. No meu caso, não foi necessário. Meu mestrado foi em língua inglesa no Brasil, me formei no curso de inglês com 13 anos, dei aula de inglês dos 16 aos 21 e morei nos Estados Unidos por dois anos quando eu era criança. Nem precisei entrar em muitos detalhes, só pela conversa a minha orientadora já comunicou a minha proficiência. Mas cada caso é um caso.

Encerro aqui a minha experiência com a carta de aceite. Sempre que recordo da sensação de ter recebido essa carta, lembro daquela música breguíssima “Why do birds suddenly appear, everytime, you are near”. Música de felicidade, in love. S2. Quando meu visto chegar, tenho certeza que vai ser essa mesma sensação over and over.

No próximo capítulo eu falo sobre a inscrição no edital da Capes/CNPQ.