As bolsas para doutorado sanduíche voltaram!

HEAD_BURO

Pessoal, estava devendo aqui um post sobre a volta das bolsas para doutorado sanduíche. O sistema da Capes reabriu, permitindo novas aplicações – para quem está por fora, tava tudo parado desde abril de 2015.

 

apagar.jpg

Quer saber como funciona? Tem um post aqui explicando o sistema Capes e outro aqui o CNPQ (que nesse momento, julho de 2016, está fechado ainda).

MAAAAS tem mais.

Algumas regras novas surgiram, é bom prestar atenção.

A primeira delas que tá dando o que falar é a necessidade da qualificação. Bem, eu tenho uma opinião bem forte sobre isso. Galerê, qualificar é o MÍNIMO para uma pessoa sair do nosso país recebendo por isso. Pense bem. A pessoa ganha uma puta bolsa (sim, parece pouco, mas pare para pensar o que isso representa no país em que vivemos), o MÍNIMO que o governo precisa ter certeza é que a sua pesquisa é válida. Se não, a pessoa pode ganhar a bolsa e ter uma pesquisa ruim, sem nexo, mal desenvolvida e lá se foi $$$$ pelos ares, investidos em uma pessoa que não estava preparada para tal.

Daí você pode dizer “ah, mas para que cursar todas as disciplinas antes de partir?” Bem, pense assim. Quando você termina seus créditos na sua Universidade, isso quer dizer que você teoricamente que esgotou todas as possibilidades de conhecimento na instituição brasileira, que aproveitou tudo que era necessário dentro das disciplinas (ou pelo menos espera-se). Assim, você estará com o seu máximo potencial para aproveitar tudo que a universidade gringa pode te oferecer.

O outro porém é que a seleção só é válida para quem viaja de Março a Outubro de 2017. Quem queria partir esse ano, em poucas palavras, se FU… só ano que vem. Mas pelo menos abriu, vamos ser positivos.

Então, pense bem antes de reclamar por causa da qualificação. Novamente: o mínimo que se espera de um estudante que quer ser patrocinado pelo governo é que sua pesquisa tenha validade e que ele esteja na melhor forma para aproveitar realmente o tempo fora.

É difícil qualificar? PRA CARALHO. Mas, confie em mim, não é NADA que você não consiga fazer com PLANEJAMENTO. Eu trabalhava 60 horas por semana nos primeiros anos do meu doutorado e consegui terminar todas as matérias com A e qualificar. Foi fácil? óbvio que não. Mas se eu não tivesse planejado eu não tinha conseguido. Planeje, trabalhe e alcance seus objetivos. A academia é difícil, mas não é impossível.

E aí? Bora se inscrever? Acessa lá o site da capes.

ATUALIZAÇÃO:

Aparentemente a exigência da qualificação foi revogada. É bom verificar entrando em contato com a Capes se continua ou não de pé. Mas a minha opinião ainda é a mesma: qualifique antes de viajar, meu povo. É melhor pra todo mund0 – principalmente para você. 

 

 

Visto para o Canadá – Documentos (parte 1)

HEAD_BURO

Bem, independente de fazer com uma empresa ou sozinho, você vai precisar de documentos além dos formulários que você vai preencher.

Vou passar a lista que me passaram para visto de estudante e de trabalho aberto em categorias:

Comprovantes de renda

  • Imposto de renda do ano com recibo
  • Prolabores/vencimentos/ contracheque (últimos 3 meses)
  • Carteira de Trabalho Assinada
  • Contrato social (caso seja sócio de alguma empresa)
  • Extrato conta corrente (assinado pela sua gerente e dos últimos 3 meses)
  • Extrato poupança/aplicação (assinado pela sua gerente e dos últimos 3 meses)
  • Extrato previdência privada(assinado pela sua gerente e dos últimos 3 meses)

Supondo que você é empresário: Você pode apresentar o IR da sua empresa e o contrato social.

Supondo que você é freela/autônomo: Você pode apresentar as notas fiscais dos serviços que você prestou, carta dos clientes falando dos serviços e dos preços.

Supondo que você é empregado: Você pode apresentar uma carta do empregador falando sobre quanto você recebe, quanto tempo você vai ficar fora.

Supondo que você não tem emprego: Você pode apresentar uma carta de custeio de quem vai pagar pelo seu tempo no Canadá. Vale lembrar que você terá que apresentar IR, Contracheque, Extratos, dessa pessoa. Ou seja, você deverá apresentar os seus documentos comprovantes de renda e da pessoa que vai te custear também.

Detalhe: Caso você trabalhe e queria complementar ou que não tenha a renda suficiente e queira apresentar alguém que vai custear o seu tempo no Canadá, também é possível. Paitrocínio e Mãetrocínio tão valendo.

 

E o Canadá entrou na minha vida… S2

Captura de tela 2016-04-18 às 21.29.09

Para quem veio direto para cá, explico nos últimos dois posts (Como escolher uma instituição e um professor fora do Brasil e Como entrar em contato) como cheguei nesse ponto. Foi uma longa jornada.

images

Desde que a professora tinha me dado um YES eu comecei a procurar blogs e vlogs sobre a vida fora. Queria saber dos custos, do dia a dia, tava super curiosa. Afinal, doutorado sanduíche era algo que eu planejava desde 2010, imagina a ansiosidade da pessoa?

Sempre que via os vlogs dos Eua, recebia indicações para ver vlogs do Canadá. Eu já morei nos EUA e já visitei o Canadá. Fui para Toronto na minha lua de mel. Sim, eu amo o frio. Nunca pensei que o Canadá fosse tão maravilhoso, cheio de diversidade, abundante na educação… Na época fomos por achar uma passagem na promoção. O fato é que nos apaixonamos. Tanto que na época vi que tinha uma oportunidade em uma universidade lá e tentei uma vaga de professora! (bem ridícula assim).

Não deu certo, óbvio. Eu tinha acabado de ser aceita no doutorado, nem tinha começado a cursar ainda. Voltamos para o Brasil com uma sensação de “um dia a gente volta para ficar”. Isso sempre ficou na minha cabeça, mas como o meu projeto tinha uma série dos EUA eu não fiz a ligação de que eu poderia ir para outro lugar. Até dar tudo errado com a Mary e eu começar a questionar o todo. Nesse momento, assistindo um vlog do Canadá, pensei – tá, mas pq eu não tento o Canadá?

Muitas séries e filmes que se passam nos EUA são produzidos no Canadá. Os estudos do Canadá são excelentes…. A ficha caiu e no mesmo momento voltei para a minha lista de artigos relacionados ao meu trabalho. Lá tinha uma professora, que eu lembrei não ter buscado mais por descobrir que ela estava no Canadá. Cheguei até ela por um artigo que ela tinha escrito quando trabalhava na Universidade da California. Me empolguei horrores. Ela era a primeiríssima da minha primeira lista até eu descobrir que ela tava atualmente no Canadá.

Não hesitei. Entrei em contato. A linda me respondeu no mesmo dia! Foi maravilhosa, adorou minha pesquisa, elogiou meu curículo – impressionante como o pessoal de fora reconhece os seus feitos de uma forma que aqui no Brasil é raro! (mas isso é tema para um outro post). Ela topou de cara trabalhar comigo, falou sobre a história dela de pesquisa relacionada a minha. E assim, fechamos a minha ida. Ela me direcionou para o departamento de estudantes internacionais da UBC e… isso é tema para um próximo posto =)