Fazendo o Sin Number no Canadá

HEAD_BURO

Num dos meus últimos posts eu falo sobre a ordem das coisas que eu precisava fazer no Canadá assim que chegasse.

Hoje, enfim, retorno a esta lista com a primeira tarefa: Sin Number.

Chegamos no Canadá em uma quarta-feira, uma da manhã, com um fuso horário de quatro horas (ou seja, no Brasil era 5h). Confesso que a gente ainda estava bobo com a viagem de 38 horas, mas no mesmo dia fomos pegar nosso sin number e fazer nossa conta do banco.

Essa ali embaixo sou eu, descendo a rua da nossa casa provisória em direção ao centro. Note que estava calor (era na última semana de agosto).

Screen Shot 2016-09-23 at 9.25.07 AM.png

Então vamos a saga do SIN.

Levamos nosso passaporte e a carta que recebemos ao desembarcar. Conto aqui, sobre o desembarque e sobre essa tal carta.

Fomos há um Sevice Center no Canadá, avisamos que tínhamos acabado de chegar e precisávamos do SIN. Eles nos atenderam na hora e em menos de 20 minutos a gente já estava com o número. Foi muito tranquilo, não pegamos fila alguma e fomos super bem atendidos.

Agora vem a pergunta importante: Precisava ser no mesmo dia?

Bem, acho bom analisar de duas formas…

Como nós não trouxemos uma quantidade grande de dinheiro em espécie, a gente precisava abrir a nossa conta o quanto antes para transferir dinheiro para cá. Sem o dinheiro a gente não conseguiria alugar uma casa. Chegamos no dia 24/08 e precisavamos de uma casa para dia 1/9. Sendo assim, cada dia contava e era necessário sim.

Se a gente tivesse trazido dinheiro em espécie, se tivesse já uma casa alugada, tivesse mais de três semanas para achar um ap ou histórico de crédito no país, a gente não precisaria.

Então minha dica é: se você tem algum desses últimos quatro fatores listados, fique tranquila, não precisa apressar nada. Agora se veio em condições parecidas com a minha – CORRE, FILHA, QUE O TEMPO É POUCO!

No próximo post eu falo sobre a escolha e alguns dramas do Banco Canadense.

Advertisements

Primeiros passos no Canadá

HEAD_DICAS (1)

CHEGAMOS!

Bem, a essa altura já estaremos em Vancouver. Estou falando no passado por ter escrito esse post ainda no Brasil. Acredito que não vou ter tempo na chegada para escrever (nem meios, pois ainda estarei sem internet e sem computador).

IMG_9906

*fotinho ilustrativa minha em Las Vegas, não em Vancouver. Em breve fotos canadenses!

Decidi então publicar a minha listinha do que teremos que fazer assim que chegarmos a Vancouver. E olha… nesse primeiro momento, vai ter coisa pra caramba para resolver.

Hoje, quarta, é o primeiro dia que estaremos no Canadá. A chegada do nosso vôo estava prevista para terça-feira às 11 horas da noite (horário de Vancouver). Com todo o processo de imigração + bagagens, creio que chegamos no hotel por volta da uma da manhã. Soma aí que uma da manhã lá é cinco da manhã em Santa Catarina.

Quarta é um dia cheio de atividades, o primeiro capítulo da nossa chegada. Vamos lá para o que está planejado:

  • Air BnB
    • Como chegamos na madrugada, tivemos que ficar em um hotel pertinho do aeroporto. Na quarta cedinho (ou mais cedo que a gente conseguir) vamos para a casa que alugamos no Airbnb. Esse será nosso endereço provisório para conseguirmos resolver as primeiras pendências no país.
  • Fazer o SIN number
    • Esse é o CPF do Canadá. Ele é o primeiro documento canadense que nós teremos. Pelo o que pesquisei, você vai até o local onde fazem ele e na mesma hora sai já com o número. É necessário o visto, a permissão de trabalho/estudo e um endereço. Mais para frente eu farei um post sobre ele.
  • Comprar o Celular
    • Não dá pra fazer quase nada sem ter um telefone. Assim que a gente conseguir o Sin, vamos para bater perna nas lojas buscar uma boa oferta para telefonia. Também explicarei melhor como foi a escolha em breve.
  • Abrir conta no Banco
    • Para abrir a conta no banco, o que precisamos: Visto, endereço, Sin e número de Celular! Ou seja, basicamente existe uma sequência para seguir nesse primeiro momento. Pelo o que pesquisamos, é bem tranquilo o processo, assim que abrir a conta, já recebemos um cartão de débito e podemos fazer transferências do Brasil para o Canadá. Vou explicar como foi e como escolhemos o banco mais para frente.
  • Pagar seguro saúde da UBC
    • Lembram que eu falei sobre os rolos para pagar o seguro saúde da UBC nesse post e nesse post? Então, precisamos passar no HSBC e pagar o meu seguro saúde. Depois encaminhamos o formulário do pagamento do seguro do meu marido por email (esse pode ser com cartão de crédito).
  • Metropass
    • Comprar o cartaozinho do transporte público em Vancouver. Como chegamos no final do mês, não vale a pena comprar o mês inteiro. Vamos recarregar com uns C$ e depois na virada do mês a gente compra o mensal. Se você está se perguntando: mas pq eles não pagam a viagem em dinheiro? Bem, aqui no Canadá é necessário ter o dinheiro certinho na hora de pagar. Não tem troco. Assim, é bem mais fácil usar o cartão, né. Mais explicações no futuro post tb.

 

Essas são as providências emergenciais! Das que a gente vai chegar e fazer sem nem ter dado um rolê na cidade ainda. Depois que a gente fizer isso tudo, vamos começar a fazer o resto com um pouco mais de tranquilidade. Mas, honestamente, me conhecendo, até conseguir o nosso AP, nada vai ser muito tranquilo!

Se der tempo ainda na quarta começaremos o capítulo dois da chegada:
apagar

  • Procura por um AP
    • Saímos do Brasil com um bairro queridinho: Kitslano. Ele fica bem localizado entre o centro e a UBC. Em uns 20 a 30 minutinhos eu chego na universidade de bus. Conseguimos ir praticamente a pé até o centro da cidade. Seria ótimo morar por lá. Porém, vamos procurar também em outros lugares, como Fairview, Cambie, Shaughnessy, Marpole, Mount Pleasant (que até onde vimos possuem mais prédios e ficam no máximo a 45 minutos de busão da UBC). Downtown e Westend seriam legais, mas são as partes mais caras da cidade, então descartamos. North Vancouver, East Vancouver e Burnaby seriam opções, mas como ficam mais de uma hora de distância da universidade, só em último caso mesmo. Vai rolar bastante posts sobre como foi o aluguel e sobre os bairros da cidade. Inclusive, tô pensando em fazer uma série sobre cada bairro de Vancouver. Senti muita falta disso quando pesquisei, acredito que eu possa contribuir com isso.
  • BC ID
    • Para não ficar andando com o passaporte para cima e para baixo, fazer o RG canadense é bem importante. Assim que der um tempinho, o faremos.
  • Conhecer a cidade!
    • Tá aí uma coisa que vamos estar loucos para fazer, mas provavelmente só vai rolar depois que a gente pegar o ap. Mas, é claro, enquanto a gente procura AP, faz os passos burocráticos da mudança, estaremos sempre de olho ao nosso redor =).

Bem, esse segundo capítulo tem bastante coisa para ser resolvida. Mais explicações (e o terceiro capítulo) ficam para um próximo post!